quarta-feira, 16 de junho de 2010

A morte de Moisés

DEUTERONÔMIO 34.1-12

Moisés foi das planícies de Moabe até o monte Nebo e subiu ao alto do monte Pisga, na altura de Jericó, que ficava no outro lado do rio. Dali o SENHOR Deus lhe mostrou toda a terra de Canaã, isto é, o território de Gileade até a cidade de Dã, no Norte; o território das tribos de Naftali, Efraim e Manassés do Oeste; o território de Judá até o mar Mediterrâneo, no Oeste; a região sul e a planície que vai de Zoar até Jericó, a cidade das palmeiras. E Deus disse a Moisés: - Eu jurei a Abraão, a Isaque e a Jacó que daria esta terra aos descendentes deles. Estou deixando que você a veja com os seus próprios olhos, mas você não vai entrar nela. Assim Moisés, servo do SENHOR Deus, morreu na terra de Moabe, conforme o SENHOR tinha dito. Deus o sepultou ali, num vale que fica em frente da cidade de Bete-Peor. Até hoje ninguém sabe onde ele foi sepultado. Moisés tinha cento e vinte anos quando morreu, mas ainda enxergava bem e tinha boa saúde. Ali nas planícies de Moabe os israelitas choraram a morte de Moisés trinta dias, até terminar o tempo de luto. Moisés havia escolhido Josué, filho de Num, para ficar no seu lugar. Ele pôs as mãos sobre a cabeça de Josué, que assim ficou cheio de sabedoria. Os israelitas obedeceram a Josué e cumpriram todas as leis que o SENHOR Deus lhes tinha dado por meio de Moisés. Nunca mais apareceu em Israel um profeta como Moisés, com quem o SENHOR falava face a face. Nunca houve ninguém que fizesse maravilhas e milagres como aqueles que Moisés, obedecendo à ordem do SENHOR, fez no Egito contra o seu rei, os seus oficiais e todo o seu povo. Nunca houve outro profeta que fizesse os milagres e as coisas espantosas que Moisés fez com grande poder na presença do povo de Israel.

Fonte: http://www.sbb.org.br/